Nando Pires

by

[button link=”http://www.nandopires.com.br/blog/?p=3479″ size=”medium” style=”info” color=”silver” window=”yes”]Leia a matéria completa[/button]

Há raríssimas oportunidades em que na busca de um, encontra-se dois e saímos com cem por cento de lucro.

Assim foi a audição do show de lançamento do baterista Tuto Ferraz, ocorrida no teatro Solar de Botafogo e que foi pautada no artigo anterior (publicado na sexta-feira – 31/01/2014).

Naquela oportunidade observei o destacar de um de seus músicos, mais especificamente do contrabaixista Sidiel Vieira, que eu até então não conhecia. Vale salientar que tal destaque fica ainda mais proeminente diante do exímio time de instrumentistas daquela banda.

Logo após o show, procurei o contrabaixista para parabeniza-lo e o adjetivo que usei foi o de que suas execuções vinham repletas de “malandragem”. Quando não conheço um músico, me preocupo com a recepção de uma observação dessas e no caso de Sidiel, ela veio com alegria, expressa por um sorriso largo que culminou com o presentear de seu CD, disco do qual passo a tratar nesse artigo!

O álbum em questão se chama “Sidiel Vieira Quinteto” e traz oito músicas instrumentais no melhor do estilo jazz brasileiro, todas compostas e arranjadas pelo próprio Sidiel.

A história da concretização dessa obra é muito interessante por conta de sua casualidade e da confirmação do constante alto desempenho do contrabaixista nos palcos. Sidiel acompanhava o músico cubano Ricardo Castellano em um show no “All Of Jazz” (bar de São Paulo), sem saber que na plateia estava um observador peculiar que havia notado seu evidente talento musical e que ao término da apresentação, esse ouvinte, lhe abordaria oferecendo custear seu primeiro disco. Tratava-se do esloveno e altruísta amante de jazz, Silvo Gustin.

A partir deste momento houve a materialização desse trabalho que foi gravado e mixado no estúdio BRC por Bruno Cardoso, masterizado no Reference Mastering Studio por Homero Lotito e conta com fotos de Duda Ramos e Dani Gurgel, esta última que também assina o design gráfico do CD.

Os músicos que integram sua banda são: Serginho Machado na bateria, Felipe Silveira ao piano, Jefferson Rodrigues no saxofone, seu irmão Sidmar Vieira no trompete e o próprio Sidiel Vieira que assume todos os contrabaixos.

Vale enfatizar que um disco cujo instrumento principal é o contrabaixo acústico (semelhante ao das orquestras) precisa ser muito bem produzido, visto que o universo das frequências graves é bastante circunscrito e extrair uma perfeita definição e timbre desse instrumento, bem como mixá-lo junto aos demais elementos da banda é uma tarefa bastante delicada. O que neste caso foi realizada com muita perícia e o resultado sonoro do CD é impecável!

Como compositor e contrabaixista, Sidiel mostra grande maturidade na distribuição das linhas melódicas para cada instrumento, também deixando claro o pulso e o forte swing que seu instrumento (em conjunto com a bateria) traz originalmente.

Trata-se de um brilhante trabalho de estreia, muito equilibrado e que denota amplo potencial. Para mim, a musicalidade do jovem Sidiel Vieira não é uma promessa e sim um fato!

Findo por transcrever as palavras que o grande mestre da música, Sizão Machado, dedicou ao disco de Sidiel Vieira: “A música é quem escolhe seus eleitos, aqueles que têm a missão de viver e de emocionar as pessoas. Sidiel é um deles e sabe bem escolher seus companheiros, rapaziada da melhor qualidade! Ao ouvir esse mágico CD, certamente entenderão o que digo.”

 Interessou?! Então segue o Facebook do artista www.facebook.com/sidiel.vieira e seu site, www.sidielvieira.com , que está sendo produzido e deverá ser publicado em poucos dias.

Mais uma vez me despeço desejando a todos um ótimo, divertido, revigorante e muito musical final de semana, desta vez ao som do álbum “Sidiel Vieira Quinteto”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


PageLines